Você já sabe que todo período laborado fora da jornada de trabalho do empregado é considerado hora extra e deve ser remunerado corretamente pelo empregador, certo? No entanto, algumas empresas acabam não realizando o controle de hora extra de maneira eficaz, o que pode gerar diversos prejuízos ao negócio.

Por esse motivo, no post de hoje vamos te contar sobre como evitar que a jornada extraordinária se torne um problema. Acompanhe!

Entenda o que é considerado hora extra

nova CLT estabelece como hora trabalhada apenas o tempo em que o profissional realmente ficar à disposição da empresa. Ou seja, se o trabalhador estiver no local de trabalho estudando, esperando o trânsito diminuir ou aguardando a chuva passar, por exemplo, o empregador não é obrigado a remunerá-lo.

Nesse sentido, a nova lei trabalhista também estabeleceu que os seguintes pontos não são considerados como hora extraordinária:

  • o tempo que o trabalhador gasta para vestir o uniforme da empresa;
  • o tempo gasto de deslocamento entre residência e local de trabalho.

Fique atento à legislação

Para realizar um bom controle de hora extra, é importante conhecer a legislação e seguir as suas regras. Porém, não esqueça que a reforma trabalhista realizou algumas mudanças sobre o tema.

Por esse motivo, converse com o departamento jurídico de sua empresa para evitar qualquer problema. Não deixe de observar os seguintes itens:

  • o valor da hora extra deve ser de no mínimo 50% a mais do que a hora normal;
  • se a hora extra for realizada durante o final de semana ou feriados, a remuneração é de 100% do valor da hora normal;
  • os valores pagos pelas horas extras refletem em outras verbas trabalhistas como, férias, 13º e FGTS;
  • cada categoria possui regras específicas que precisam ser verificadas com o sindicato.

Faça uso do banco de horas

O instituto do banco de horas é uma ótima forma de não causar impacto no faturamento da sua empresa. A regra geral é que o trabalhador deva compensar a hora extra dentro do período de um ano, porém, cada categoria profissional possui o seu próprio prazo e deve ser obedecido pela empresa.

É importante ressaltar que a nova legislação trabalhista permite que seja firmado acordo individual entre patrão e empregado sobre o banco de horas, mesmo que a convenção ou acordo coletivo diga o contrário.

Utilize softwares para um controle mais eficiente

Utilize a tecnologia a seu favor e invista em um bom software para fazer o controle das horas extras de seus funcionários. Com o sistema, o empregado lança as horas que trabalhou a mais e o cálculo do quanto a empresa deve pagar ou até mesmo da quantidade de horas a serem compensadas é feito imediatamente — o que economiza o tempo da equipe de recursos humanos.

Além disso, toda jornada extraordinária deve ficar devidamente registrada, o que pode ser utilizado como prova em uma eventual reclamação trabalhista.

Avalie a produtividade dos empregados

Hora extra nem sempre significa trabalho em excesso, sendo diversas vezes resultado da baixa produtividade dos funcionários. Não é raro encontrarmos empregados que procrastinam durante as oito horas de sua jornada laboral e acabam acumulando diversas tarefas para realizar depois do horário.

Portanto, é importante que a chefia esteja sempre atenta à forma como os seus trabalhadores estão organizando as suas tarefas diárias e mantenham um rigoroso controle de hora extra. Tudo isso para deixar claro que a hora extraordinária deve ser realizada apenas quando necessária.

Como você pode perceber, realizar o controle de hora extra não é tão difícil quanto parece e quando é feita de forma correta traz diversos benefícios tanto para o empregador quanto para os empregados.

E então, gostou do conteúdo desse post? Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Deixe um comentário que teremos o maio prazer em responder!

Share This